Moda Masculina

Quem pensa que a preocupação com a vestimenta é um apanágio apenas feminino, engana-se. A moda masculina foi um assunto que sempre interessou aos homens.  Aliás, o Velho Testamento nos conta a história de José, filho de Jacó, que foi vendido como escravo pelos próprios irmãos, por estes terem ficado com ciúmes de uma túnica listrada, feita em várias cores, que José havia recebido de presente de seu pai.

Os romanos antigos vestiam-se como os gregos: usavam uma túnica, caindo em pregas, suavemente. Após a queda do Império Romano, Bizâncio passou a ditar a moda masculina: as túnicas eram bordadas com pedrarias coloridas.  No século VIII o exagero com a moda masculina era tal que o Rei Carlos Magno baixou um edito em que impunha maior austeridade no vestiário.

A moda masculina no século XV eram as calças de malha e corpete justo, gibão curto, preso à cintura, e manto sem mangas. Já no século XVII os homens usavam altas cabeleiras postiças. Os peitilhos rendados foram substituídos por gravatas de rendas ou jabôs. As luvas ganharam punhos longos, bordados em pedrarias.  

No século VIII a moda masculina para os elegantes era uma casaca estreita até os joelhos e calças de cetim, bem justas, às quais eles atavam, com fitas, longas meias de seda. Para finalizar o look eles usavam gravata e punhos de renda superpostos, mantos negros, perucas brancas e sapatos de cetim, com enormes fivelas. A Revolução Francesa pôs por terra toda essa concepção de elegância, e nessa época nasceu o embrião daquilo que se transformou em paradigma do que seria a moda masculina, que perdura até os dias de hoje.

Gostou do artigo sobre Moda Masculina? Veja mais sobre Dicas de Moda aqui!

Dicas de Moda - Artigos mais visitados